CRISE???? SÓ SE FOR DE CARÁTER!





"Vou fazer um slideshow para você.
Está preparado? É comum, você já viu essas imagens antes.
Quem sabe até já se acostumou com elas.
Começa com aquelas crianças famintas da África.
Aquelas com os ossos visíveis por baixo da pele.
Aquelas com moscas nos olhos.
Os slides se sucedem.
Êxodos de populações inteiras.
Gente faminta.
Gente pobre.
Gente sem futuro.
Durante décadas, vimos essas imagens.
No Discovery Channel, na National Geographic, nos concursos de foto.
Algumas viraram até objetos de arte, em livros de fotógrafos renomados.
São imagens de miséria que comovem.
São imagens que criam plataformas de governo.
Criam ONGs.
Criam entidades.
Criam movimentos sociais.
A miséria pelo mundo, seja em Uganda ou no Ceará, na Índia ou em Bogotá, sensibiliza.
Ano após ano, discutiu-se o que fazer.
Anos de pressão para sensibilizar uma infinidade de líderes que se sucederam nas nações mais poderosas do planeta.
Dizem que 40 bilhões de dólares seriam necessários para resolver o problema da fome no mundo.
Resolver, capicce?
Extinguir.
Não haveria mais nenhum menininho terrivelmente magro e sem futuro, em nenhum canto do planeta.
Não sei como calcularam este número.
Mas digamos que esteja subestimado.
Digamos que seja o dobro.
Ou o triplo.
Com 120 bilhões o mundo seria um lugar mais justo.
Não houve passeata, discurso político ou filosófico ou foto que sensibilizasse.
Não houve documentário, ong, lobby ou pressão que resolvesse.
Mas em uma semana, os mesmos líderes, as mesmas potências, tiraram da cartola 2.2 trilhões de dólares (700 bi nos EUA, 1.5 tri na Europa) para salvar da fome quem já estava de barriga cheia."

Esste texto foi escrito por um sujeito chamado Neto. Um grande sujeito. Sócio e diretor de ciação da Bullet, uma das melhores agências de marketing promocional do país.
As fotos são de Arnaldo Carvalho.

0 comentários:

Hipocrisia Americana






Mais de 45 milhões de norte americanos são afrodescendentes e, mesmo assim, os Estados Unidos elegeram pela primeira vez um presidente negro.
Mas entrou Obama e passou a Proposta 8 que proíbe o casamento entre pessoas do mesmo sexo no estado da Califórnia, inclusive anulando os casamentos realizados desde junho deste ano. Isso aconteceu apesar dos 29 milhões de gays que vivem nos Estados Unidos.
Trata-se de um grande retrocesso na luta pela igualdade não só na Califórnia mas em todo o país e no mundo, revelando que a hipocrisia ainda reina absoluta, acima dos direitos humanos.
Artistas e personalidades como Brad Pitt, Steven Spielberg e America Ferrera (Uggly Betty), bem como empresas como a Google, Apple e Pepsi, demonstraram pública e espontaneamente seu repúdio à Proposta 8, doando incluisve grandes quantias em dinheiro em prol da causa.
Apesar disso tudo, por 52 a 47%, a Proposta 8 foi aprovada no plebiscito, derrubando a decisão do Tribunal Superior de Justiça da Califórnia, que legalizou as uniões entre pessoas do mesmo sexo na California em maio de 2008.
Milhares de pessoas saíram às ruas de Los Angles e em diversas cidades dos EUA, em marcha, protestando contra o resultado do plebicisto prejudicado em grande parte por coincidir com a eleição presidencial.
No Brasil estima-se que o número de homossexuais esteja perto dos 20 milhões de pessoas que vivem como seres de segunda categoria, tendo os mesmos deveres mas não podendo usufruir dos mesmos direitos garantidos aos heterossexuais.
Se nos Estados Unidos os gays movimentam U$ 600 bilhões por ano, no Brasil, embora não tenhamos um levantamento tão específico, sabemos que os gays gastam em média 30% mais que os héteros, 36% são da classe A, 47% são da B, 16% da C, e 57% têm nível superior. Políticos e empresários que ignoram ou discriminam esse público são, no mínimo, burros.

0 comentários:

Pelados Com Causa II






Ok, a nudez chama mesmo a atenção. E dependendo de quem estiver sem roupas, pode chamar muita atenção.
Para os povos primitivos a nudez não significava nada. E as roupas significavam menos ainda. Mas para os povos das regiões mais frias, cobrir o corpo era uma necessidade e, com o passar do tempo, as roupas passaram a ter conotação de status, de posição na hierarquia social do grupo.
E a medida que os povos vestidos foram conquistando outros povos, impondo seus costumes e cultura, a nudez deixou de ser uma coisa natural. Virou vergonha, crime, doença...
Por volta de 1930 a medicina enfim reconheceu as virtudes terapêuticas da exposição aos raios solares, aconselhando as pessoas a freuqentarem praias e piscinas. Surgiu então o Naturismo e o nudismo voltou a ser praticado em alguns poucos países. Os demais resolveram adotar o maiô...
Inspirado por uma revista de fisioculturismo lançada 1m 1908, o fotógrafo Bob Mizer lança em 1952 a Physique Pictorial, uma publicação que usava a pratica de musculação e outros exercícios como desculpa para estampar fotos de rapazes nus. Direcionada ao público gay da época, a revista tornou-se um grande sucesso e inspirou o lançamento de muitas outras publicações do gênero.
Na década de 60, os hippies tentaram resgatar o aspecto natural da nudez, bem como do amor livre e da integração do homem com o meio ambiente. As artes de uma forma geral absorveram os ideais hippies e, tanto no teatro quanto no cinema, assim como nos festivais de música e nas artes plásticas, a nudez foi explorada ao extremo.
Foi nesse período que ela passou a ser usada também como instrumento de protesto. Tirava-se a roupa por qualquer motivo. Contra a guerra do Vietnã (Central Park - 1968) ou contra a invasão da polícia no bar gay Stonewall (Greenwich Village - 1969).
A nudez vem sendo usada desde então em prol de diversas causas: Contra o uso de casacos de pele, contra a crise na agricultura, contra o aquecimento global, contra governos corruptos... enfim mostre-me uma causa e eu tiro a calça! Bem, eu talvez não... mas muita gente pensa assim.
Um dos movimentos que mais tem crescido em todo mundo é o WNBR ou World Nude Bike Ride. Trata-se de um passeio anual que reúne centenas e milhares de ciclistas nas principais capitais e cidades do mundo civilizado (entendam como quiserem), todos nús ou semi-nus, chamando a atenção para a necessidade de trocar os automóveis por bicicletas.
O WNBR começou em 2001 em Zaragoza, Espanha. Em 2008 foram 70 cidades em todo o mundo, entre elas Londres, Sidney, Viena, Bruxelas, Montreal, Toronto, Praga, Paris, Berlim, Amsterdã e Cidade do México.
Em São Paulo o evento aconteceu pela primeira vez este ano e reuniu cerca de 200 corajosos pioneiros para um passeio que foi da Av. Paulista ao 78º DP na Rua Estados Unidos. É, porque embora o material de divulgação do WNBR São Paulo dissesse que a nudez era opcional, a polícia pensava absolutamente o contrário e, o evento que acontece em todo o mundo com o apoio da polícia e sem nenhum tipo de violência, aqui no Brasil foi bem diferente. Teve cilcista levando chute no saco, tapa na cabeça e alguns foram presos.
Eu proponho uma passeata de pelados contra a polícia brasileira!

0 comentários:

Pelados Com Causa






Calendário de mulher pelada não é novidade. Desde a invenção da fotografia elas enfeitam folhinhas que vão da mais pobre borracharia até galerias de arte. Algumas se tornaram objeto de desejo de colecionadores e chegam a valer pequenas fortunas.
A folhinha da Pirelli, por exemplo, virou uma espécie de "lugar onde todas querem estar". Até Sophia Loren e Gisele Bundchen já posaram para a publicação.
Mas calendário de homem pelado é uma coisa mais recente. A pouco mais de 10 anos os bombeiros de New York aceitaram tirar a roupa e se deixarem fotografar para o Firefighters Calendar of Heroes, com a renda obtida na venda desses calendários revertida para o Fire Safety Education Fund.
A idéia de ficar peladão por uma boa causa agradou aos que posam e aos que compram os calendários. A iniciativa logo foi copiada pelos bombeiros canadenses em prol Fondation des Pompieurs du Québec pour lês Grands Brûleé, uma fundação que cuida de vítimas de queimaduras graves.
Os jogadores da liga de rugby australiana também expuseram a figura em benefício da campanha contra o câncer de mama. Além de posar para as lentes de Pedro Virgill, os bonitões ainda parciparam de desfiles de moda praia.
Da Australia para a França a naked rugby league se transformou em um dos mais bem sucedidos projetos do gênero: O Dieux du Stade, calendário que chega à sua nona edição, promovendo a arrecadação de verbas para uma fundação que cuida da integração de crianças autistas ao esporte.
Além do calendário, há um DVD a cada edição, com o making of das sessões de fotografias. Um sucesso mundial de vendas e uma brilhante estratégia de marketing criada por Max Guazzini, presidente do time de rugby francês, que conseguiu atrair a atenção de mulheres e dos gays para o esporte.
Claro que os meninos só se deixam fotografar por grandes profissionais. Kris Gautier clicou as duas primeiras edições (2001 e 2002), Mathias Vriens em 2003, François Rousseau em 2004, Carter Smith em 2005, Fred Goudon cuidou da edição 2006, Mariano Vivanco na edição 2007, o badalado Steven Klein para o calendário de 2008 e o estrelado Peter Lindbergh fotografou a edição de 2009.
Este ano a revista Criativa deu start em um projeto em defesa do meio ambiente e convocou algumas celebridades para tirarem a roupa em defesa do planeta. Entre elas: Paulo Zulu, Ricardo Pereira e Daniele Suzuki.

0 comentários:

Efeitos & Refeitos de Eduardo Garofalo





O pedagogo, matemático e economista Eduardo Garofalo demorou 50 anos para sacar que o barato dele era mesmo a fotografia, arte que descobriu logo aos 10 anos de idade mas que por um motivo ou todos, acabou ficando 40 anos na condição de amador, pesquisador e técnico.
Ou talvez tenha sido esse o tempo necessário para que Garofalo desenvolvesse todo o seu talento e se lançasse assim, como um artista que nasce pronto após uma longa gestação. É o que revela sua intensa produção nos últimos 10 anos, a diversidade de temas e a variedade de técnicas usadas em suas obras.
Uma pequena parte de toda essa produção compõem uma grande exposição de Garofalo que a Galeria Sandra Setti, em Jundiaí, apresenta este mês. Peças retiradas de várias coleções do artista formam um mosaico rico e surpreendente, revelando sua versatilidade e inquietação.
Da coleção "Detalhes de Fetiche", uma grande série de fotos em preto e branco mostra detalhes de uma bela mulher vestida com roupas de couro. Também em P&B estão algumas peças pinçadas da coleção "Na Neblina", que mostra detalhes arquitetônicos mergulhados em uma bruma poética.
Mas não há como não render-se ao colorido e ao tratamento das grandiosas fotos da coleção "Efeitos". Os detalhes são ampliados até tornarem-se independentes das imagens onde estavam inseridos. Depois disso essas imagens são tratadas no computador, utiliando programas convencionais como o Adobe Photoshop, onde elas trocam suas cores originais por uma cartela vibrante, quase lisérgica.
No coquetel de inauguração da exposição, Garofalo e a anfitriã Sandra Setti receberam convidados e amigos para uma noite de arte e bom papo. Entre os presentes estavam: Francisco Oliva e esposa, Sandra Carnio, Fernanda Traldi, Dionisio Sponchiado, Cesar Litaldi, Ana e Josy Violi, Rosangela Rando, Paula Pastre, João Ballas e Sandra Bernardi.
A exposição de Garofalo fica na Galeria Sandra Setti até 21 de novembro e pode ser vista de segunda a sexta-feira das 9 às 18 horas e aos sábados das 9 às 13 horas. O endereço é Rua do Retiro, 480, no Anhangabaú, com acesso (e estacionamento) também pelo Beco Fino - Alameda dos Restaurantes.

0 comentários:

As Mais Belas do Cinema

Uma montagem espetacular com as mais belas atrizes de todos os tempos. Mulheres que marcaram seus nomes na história do cinema não só pela beleza mas também pelo talento, por atitudes revolucionárias e até pelo envolvimento em causas humanitárias.
Marilyn Monroe, Rachel Welch, Jane Fonda, Audrey Hepburn, Brigitte Bardot, Sofia Loren e tantas outras que podemos ver nesse vídeo, continuam a ser referência de beleza e de estilo.


Super obrigado Roberto!!! Adorei receber esse presente. video

0 comentários:

Zeitgeist


Zeitgeist (pronúncia: tzait.gaisst) é um termo alemão que significa Espírito de Época ou Espírito do Tempo, referindo-se ao avanço intelectual e cultural do mundo, numa certa época ou as características genéricas de um determinado período de tempo.
Zeitgeist, O Filme foi produzido em 2007 por Peter Joseph (pseudônimo de James Coyman) e apresenta uma série de teorias de conspiração relacionadas ao Cristianismo, os ataques de 11 de setembro e a Reserva Federal dos Estados Unidos da América.



O filme foi lançado pela internet através da Google Vídeo e tornou-se o vídeo mais visto de todos os tempos na rede. Em 5 meses foram mais de 8 milhões de acessos. Em novembro de 2007 ganhou uma versão remasterizada que foi apresentada em 10 de novembro de 2007 no 4th Annual Artivist Film Festival & Artivist Awards.



Tão polêmico quanto bem realizado, Zeitgeist propõe (ou nos obriga) a uma reflexão sobre o papel das religiões, do terror e do dinheiro em nossas vidas.
A primeira parte do filme fala sobre a maior encenação da história da humanidade: A existência de um Cristo e as religiões em si. Peter Joseph defende que Jesus é um mix de crenças ramificadas a partir de uma lenda criada por uma civilização bastante anterior ao "ano 0" e que, desde então, foi adaptada e remodelada de acordo com a época e as necessidades de controle social dos mais diversos povos.
A segunda parte mostra a força do terror neste milênio, a partir de seu ponto mais alto até o momento, os ataques de 11 de setembro ao World Trade Center. Peter Joseph defende que governo dos Estados Unidos tinha conhecimento destes ataques e que a queda do World Trade Center foi uma demolição controlada, como parte de uma estratégia politica/marketeira.
A terceira e última parte de Zeitgeist fala dos sistemas bancários, com especial destaque para os Estados Unidos, como uma conspiração bem montada que envolve a Reserva Federal, a família Rockefeller, as duas Guerras Mundiais, o Iraque, o Vietan e até a Venezuela (que ele diz que será invadida em breve por causa do petróleo). Peter Joseph acredita que há uma conspiração de banqueiros com o objetivo de controlar toda a raça humana, criando um só governo e uma só moeda.



Você pode não acreditar em nada do que Peter Joseph diz em Zeitgeist, mas você não pode deixar de ver o filme, assim como você não precisa acreditar na existência de Superman ou do Drácula para ir ao cinema.
Mas vale lembrar que Laranja Mecânica, 1984 e Admirável Mundo Novo eram obras totalmente fictícias... Talvez daqui a alguns anos a gente volte a ver Zeitgeist com outros olhos. Se ainda tivermos olhos.

Joseph também é o criador do também polêmico reality show www.cultureindecline.com



Você pode ver o filme Zeitgeist pelo YouTube.







0 comentários:

EARTHLINGS


Mais uma colaboração do meu amigo Franco Cavaliere que, todos os dias, me manda e-mails interessantíssimos e me ajuda a me manter sintonizado com tudo o que acontece poraí.
Desta vez ele me mandou um link para um documentário fantástico, que todo mundo tem a obrigação de assistir.
Trata-se de "EARTHLINGS" (Terráqueos, em português), produzido em 2005 nos EUA, escrito e dirigido por Shaun Monson, co-produzido pela atriz e musicista Persia White, com uma trilha sonora belíssima assinada por Moby e narrado pelo ator Joaquin Phoenix.
Phoenix, conhecido mundialmente por filmes como "The Gladiator" e "Walk The Line", é ativista dos direitos animais, vegano e membro do PETA.
"EARTHLINGS" é um filme-documentário sobre a absoluta dependência da humanidade em relação aos animais (para estimação, alimentação, vestuário, diversão e desenvolvimento científico), mas também ilustra nosso completo desrespeito para com os assim chamados "provedores não-humanos". O filme faz um brilhante exercício de comparação do especismo da espécie humana com outras relações de dominação, como o racismo e o sexismo além de um estudo detalhado das lojas de animais, das fábricas de filhotes e dos abrigos para animais, assim como das fazendas industriais, do comércio de peles e de couro, das indústrias da diversão e esportes, e finalmente, do uso médico e científico.
"EARTHLINGS" usa câmeras escondidas para detalhar as práticas diárias de algumas das maiores indústrias do mundo, todas visando o lucro com os animais.
O documentário levou cinco anos para ser produzido e, o que começou como uma série de uma campanha de conscientização pública sobre castração de animais de estimação, se tornou um longa-metragem que buscou tratar de cada tema principal relacionado com os animais.
Shaun Monson começou as filmagens para as campanhas de conscientização na Califórnia, no Estados Unidos. Assim que as filmagens terminaram, Monson passou a se interessar por outras áreas correlatas, como alimentação e pesquisa científica. Nesse meio tempo, ele acumulou uma pequena biblioteca, colhida em várias organizações, e começou a escrever um roteiro.
Você pode assistir o filme com legenda em português no endereço http://veg-tv.info/Earthlings. No mesmo lugar você vai encontrar opção para download.
Se preferir, pode ver o filme direto no YouTube, em 3 partes: Parte 1, Parte 2 e Parte 3.

Divulgue para seus amigos. Você pode fazer alguma coisa. Faça agora!

0 comentários:

e-Paper / e-Books / EPDs



A edição de setembro da revista Esquire terá 100 mil exemplares (de uma tiragem total de 720 mil) com capa eletrônica.
Uma bateria extremamente fina inserida na capa da revista, sem comprometer o formato e peso, vai fazer piscar a frase "O Século XXI começa agora!". A tal mini bateria foi desenvolvida na China e tem uma autonomia de 90 dias.
Tudo isso só pra fazer uma frase piscar na capa de uma revista?!!! Parece meio tosco mas é apenas uma sinalização do que deve ser a maior revolução do mercado editorial em pouqíssimos anos.
Espera-se que 2009 seja o ano do grande boom dos EPDs no mundo. Várias empresas estão investindo pesado nessa nova tecnologia, entre elas a Amazon.com e Sony.
Ambas já lançaram seus e-Books ou e-Papers ou Electronic Paper Display (EPD) no mercado. A Amazon lançou o Kindle e a Sony o Sony Reader.
Os EPDs são telas de 2 gadgets que leêm até 16 tons de cinza e funcionam como páginas de um livro ou jornal, além de carregarem outras funções como administração de blogs, acesso a e-mails, etc. tudo com um consumo baixíssimo de energia.
Há um forte apelo ecológico atrás dessa nova tecnologia contudo, não podemos esquecer que a maior parte dos componentes desses aparelhos usam materiais altamente poluentes e são fabricados na China, um país que não dá a menor bola para as questões ambientais.
Só pra você ter uma idéia, hoje são produzidos no mundo 90 milhões de notebooks por ano. A grande maioria deles na china. Para amenizar os danos ao meio ambiente no processo de produção dos notebooks, 15 milhões de árvores teriam que ser plantadas todos anos. Agora me fala, você já viu um chinês plantando árvore? Nem eu!

0 comentários:

Skinned Alive

Este filme foi extraído do site do PETA e denuncia, através de câmeras ocultas, as barbáries que são cometidas diariamente na China, em fazendas que criam animais para a extração de peles usadas pela indústria da moda.
Os animais são submetidos a todo tipo de torturas e por fim as peles são retiradas com os bichinhos ainda vivos. As carcaças são jogadas umas sobre as outras e eles ainda estão vivos. Repare na cena em que um deles ainda encontra forças para erguer a cabeça e olhar para a câmera.
É uma das coisas mais horríveis que já assisti em toda a minha vida. Chorei muito ao ver essas imagens. Sentimentos como o horror e o ódio pelos humanos se misturavam à pena e a dor por aqueles pobres bichinhos indefesos, na mais terrível das agonias antes de morrerem.
Tenho recebido muitos e-mails e reportagens denunciando coisas horríveis que acontecem na China e que estão vindo à tona por conta das Olimpíadas. Mas nada se compara a isso. Nada é mais brutal e desumano.
Segundo o site do PETA, a maioria dessas peles são consumidas nos Estados Unidos mas, com certeza, muitas peles acabam sendo comercializadas aqui no Brasil também.
Assista o vídeo, envie o link para todos seus amigos e depois assine a petição na página www.furisdead.com video

VOCÊ PODE FAZER ALGUMA COISA. FAÇA AGORA!

0 comentários:

São Paulo é a 25ª cidade mais cara do mundo





Essa quem me mandou foi meu amigo Franco Cavaliere.
São Paulo é a 25ª cidade mais cara do mundo para se viver, segundo pesquisa da empresa de consultoria Mercer, ficando a frente de cidades como Los Angeles (55º lugar); Miami (75º); e Washington (107º lugar).
O que mais chama a atenção é que no ano passado São Paulo estava em 62º lugar no ranking.
Segundo a Mercer, a valorização do Real em relação ao Dólar no último ano é a principal causa dessa disparada. A pesquisa comparou o custo de 200 itens - como aluguel, restaurantes e combustíveis - em 143 cidades de seis continentes.
Essa pesquisa é usada por multinacionais e governos para determinar salários e diárias a empregados em viagem ou morando no exterior.
Pelo terceiro ano consecutivo, Moscou ficou no topo da lista como a cidade mais cara do mundo. Tóquio e Londres ocupam a 2ª e 3ª posição respectivamente. Hong Kong icou em 6º lugar e Milão em 10º. A única cidade norte-americana a frente de São Paulo é New York (22ª).
Segundo a mesma pesquisa, Karachi (Paquistão) Quito (Equador) e Assunção (Paraguai) são as cidades mais baratas do mundo para viver. Prefiro não comentarrrrrrrrrrr!

0 comentários:

Pavão Misterioso





José Camelo de Melo Resende nasceu a 20 de abril de 1885, em Pilõezinhos-PB e faleceu em Rio Tinto-PB, no ano de 1964. Poeta de imaginação fértil, José Camelo fez parte da segunda geração de grandes poetas populares do nordeste e foi autor de alguns dos principais clássicos da Literatura de Cordel, entre eles o encantador "Romance do Pavão Mysteriozo".
Esse folheto de Cordel escrito em 1923, conta a fantástica história de amor da Condessa Creuza, a moça mais bonita da Grécia, e Evangelista, um jovem e abastado comerciante da Turquia.
Creuza vivia trancada em quarto no alto de um sobrado. Seu pai não permitia que nenhum outro homem se aproxima-se dela. Uma vez por ano apenas Creuza fazia uma aparição de 1 hora em sua janela e foi em uma dessas aparições que ela foi fotografada por um viajante e seu retrato foi parar nas mãos de Evangelista, que caiu de amores por ela.
Ao chegar em Grécia e ciente das dificuldades que teria para aproximar-se de sua amada, Evangelista procura um cientista/artista e encomenda uma invenção que lhe permita chegar até Creuza. E é assim, numa comunhão entre fantasia e ciência, romance e tecnologia, que surge o Pavão Misterioso. Uma máquina de voar que possibilita o encontro de Evangelista e a jovem condessa.
Tanto quanto encantador, o "Romance do Pavão Mysteriozo" é polêmico. A autoria deste folheto foi atribuída também a João Melchíades Ferreira mas, segundo os historiadores, Melchiades obteve uma cópia do texto original escrito por José Camelo e o reescreveu, publicando como obra de sua autoria. Dizem que o verdadeiro autor, entristecido com a audácia do ladrão, rasgou os originais.
A história da história dá uma outra história mas é a história do Pavão Misterioso que o grupo Performático Éos está mostrando ao público no Espaço da Juventude (Avenida 9 de Julho, 1151 - Jundiaí) em uma montagem brilhante, apaixonada e apaixonante como todos os trabalhos desse grupo criado em 1992 por Carlinhos Pasqualin, diretor vitalício do Éos.
"A Fantástica Epopéia do Pavão Misterioso", assim como Joana D'arc e Salomé, trabalhos anteriores do grupo, prefere espaços alternativos a teatros convencionais. A proximidade dos atores com a platéia permite o contato físico e o olho no olho, que nos torna parte da história.
Alternativos também são os elementos que constituem os cenários e figurinos do espetáculo. Tudo se explica pela ausência de patrocinadores e investidores, claro, mas isso é também parte indeletável do espírito criativo do Éos e do contexto em que se insere a literatura de Cordel. E o resultado é fantástico, cheio de soluções simples e de grande efeito como os piscas de árvore de Natal usados do teto até a roupa de baixo de uma das personagens. Genial também é a engenhoca sobre a qual o estranho cientista anda. Uma espécie de perna-de-pau futurista que deu ao personagem um que de diabólico e infantil.
Os figurinos merecem um parágrafo a parte. Todo feito em chita. Eu disse: TODO FEITO EM CHITA!!!! Os trajes criados por Ricardo Carvalho quase nos fazem agradecer a ignorância dos empresários jundiaienses, que não investem um único centavo em cultura.
O elenco tem pontos altos e baixos mas o conjunto funciona muito bem e nada compromete o espetáculo. Pasqualin soube adequar os papéis às limitações e qualidades de seus atores. Sobresaem-se nessa montagem a atriz Paloma Regina, que conta a história e a cantora Fabia Giarola, dona de uma voz que marca os melhores momentos do espetáculo.
Particularmente não gostei muito do uso de fantoche para as primeiras cenas de Creuza, já que uma atriz encarna a personagem do meio do espetáculo em diante. Embora o fantoche estivesse melhor que a atriz, no dia em que fui assistir, ainda assim prefiro o elemento humano ao humanizado.
"A Fantástica Epopéia do Pavão Misterioso" é o 15º espetáculo montado pelo grupo nesses 17 anos de trajetória, sempre fiel à sua proposta de fazer teatro inteligente e nunca o teatro fácil o Éos já nos brindou com espetáculos belíssimos como o polêmico e brilhante "Os Cegos", o poético "Joana" e o instigante "Saló Salomé".
Nomes importantes da atual cena teatral brasileira com a atriz Juliana Galdino, a produtora Daniela Biancardi, a iluminadora Silviane Ticher e a cenógrafa Juliana Fernandes começaram no Éos, o que o torna respeitado inclusive entre os outros grupos da cidade.
"A Fantástica Epopéia do Pavão Misterioso" cumpre curta temporada e os espetáculos acontecem aos sábados às 21 horas e domingos às 19 horas. Os ingressos estão a R$ 5,00.

1 comentários:

Passado Tempo - Fernanda Rappa




Fernanda Rappa é fotógrafa mas seu trabalho é mais do que fotografia. Não que fotografia seja uma arte menor mas, com certeza, é pouco para definir o que Fernanda faz.
A exposição "Passado Tempo", em exibição no MilkShakespeare Café Bistrô até 14 de agosto, traz ao público fotos que são verdadeiras pinturas e profundos poemas.
Fernanda não se limita a captar instantâneos da realidade, ela transforma as imagens com sua visão carregada de poesia e referências, registrando momentos imaginados/sentidos e (por que não?) vividos.

0 comentários:

Watch Out





Jonathan Barrows é um homem perdidamente e literalmente apaixonado por ele mesmo.
Jonathan Barrows sente tanto desejo por seu próprio corpo que mantém relações sexuais com um boneco inflável que tem algumas de suas características físicas e... uma foto dele colada no lugar do rosto do boneco.
Jonathan Barrows é o personagem central do polêmico filme Watch Out, de Steve Balderson, baseado no livro de mesmo nome escrito por Joseph Suglia.
Vivido pelo ator Matt Riddlehoover, o personagem Jonathan Barrows é desejado por homens e mulheres mas sempre rejeita seus admiradores, que ele classifica como "Criaturas Estranhas" e diz que não passam de um fast food no restaurante da vida.
Watch Out é o terceiro filme de Balderson. Seu filme de estréia Peep Squad, lançado em 1998, era uma sátira à onda de violência escolar que assolava os EUA naquela época.
Em 2005 lançou Firecrackers, um filme teatral que arrebatou os melhores comentários da crítica especializada e também prêmios em festivais como o Vision Fast e o Raindance Festival.
Watch Out contudo surge como um grande filme. Em apenas 3 dias no Youtube, o trailer do filme teve quase 25.000 acessos.
Vamos aguardar e torcer para que esse filme chegue ao Brasil.

0 comentários:

Trailer: Watch Out, de Steve Balderson

0 comentários:

Barbie Mumificada


O controverso e contemporâneo artista plástico E.V. Day fez uma releitura muito original da icônica e sem graça boneca Barbie. Mummified Barbie é o nome de uma instalação que já foi exposta em várias galerias e museus do mundo mostrando a bonequinha mumificada.
Se você gosta de presentear com coisas absolutamente originais, essa é uma sugestão engraçada e que também pode render uma boa reflexão.
A Barbie Mumificada de E.V. Day pode ser comprada na Deitch Project (76 Grand Street - New York) por U$ 3.000.




0 comentários:

Estômago





Devorar ou ser devorado? A lei das selvas assume várias formas nas grandes metrópoles e são algumas dessas formas que compõem o filme "Estômago", de Marcos Jorge. Mas "Estômago" é também um filme sobre prazeres como a comida, o sexo, a arte, a vingança... esses prazeres aos quais nos permitimos, alguns com frequência e outros de vez em quando.
Os personagens parecem bizarros mas não são. As situações parecem insólitas mas não são. As pessoas e os acontecimentos em "Estômago" são mais comuns e triviais do que podemos imaginar ou gostariamos de acreditar.
O que dá um toque surreal ao filme é como tudo isso foi alinhavado em um roteiro inteligente e depois custurado com finissimo acabamento pela música, fotografia e edição primorosas que ele tem.
Esse é o primeiro longa do diretor Marcos Jorge que vem de dois curtas: "Infinitamente Maio" e "O Encontro". Uma estréia com pé direito, aplausos da crítica, boa bilheteria e vários prêmios importantes (entre eles melhor filme, melhor diretor e melhor ator no Festival Rio 2007, além melhor filme e melhor ator no Festival de Punta Del Este).
O elenco é fantástico e sem globais. O Titã Paulo Miklos faz uma participação especial muito interessante. A atriz Fabiola Nascimento arrasa no papel de Iria, uma prostituta gulosa, engraçada, sensual e cheia de vida. Mas o destaque mesmo é para João Miguel (de "Aspirina e Urubus") que encarna o nordestino Raimundo Nonato com uma graça e simplicidade que cativa e comove.
O único senão do filme está na última cena. Não vou contar exatamente o que pra não tirar a graça do filme mas, como disse meu amigo Dionisio Sponchiado, se o filme tivesse acabado 1 minuto antes seria o filme perfeito com final perfeito.
De qualquer maneira "Estômago" é um desses raros filmes que renovam nossas esperanças no cinema nacional. "Estômago" é um filme com sabor de quero mais!

0 comentários: