Naked Man Art


"A arte nunca é casta, se deveria mantê-la longe de todos os cândidos ignorantes. Nunca se deveria deixar que gente despreparada se aproximasse dela. Sim, a Arte é perigosa. Se é casta não é Arte."

(Pablo Picasso)

Na arte a nudez é chamada de Nú Artístico e - mais especificamente na pintura, na escultura e na fotografia - é uma das classificações acadêmicas. Desde a Grécia Antiga, a anatomia humana é não só um desafio mas também um objetivo na busca da perfeição pelos grandes mestres.
O arquiteto e engenheiro romano Marcos Vitrúvio, que viveu no século 1 a.C., pregava que as proporções ideais em arquitetura devem se basear na medida do corpo humano, que é um modelo perfeito. O conceito do Homem Vitruviano, representado por um homem nu com braços e pernas estendidos dentro de um círculo e um quadrado, foi uma das grandes referências artísticas do Renascimento.


De Policleto a Da Vinci, de Michelangelo a Monet, Rodin a Julian Freud, do Barão de von Gloeden a Robert Maplethorppe, praticamente todos os artistas dedicaram várias de suas obras ao estudo das formas, independente dos conceitos culturais, sociais e religiosos sobre o tema. E muitas dessas obras provocaram escândalo.
É impossível desassociar a nudez de um certo grau de erotismo e provocação, seja intencionalmente dentro da proposta do artista, seja como consequência dos costumes da sociedade de cada época. Em períodos mais duros os artistas foram censurados e até mesmo proibidos de explorar a nudez. Em 1559 o papa Paulo IV ordenou a Daniele da Volterra cobrir com roupas as partes íntimas das figuras do Juízo Final da Capela Sistina, então recém pintada por Michelangelo. O mesmo Michelangelo viu ainda sua estátua de Davi ser apedrejada quando colocada na Piazza della Signoria em Florença. Em 1989, meses após a morte do fotógrafo Robert Mapplethorpe, o senador republicano de extrema direita Jesse Helms conseguiu suspender uma exposição retrospectiva do artista na galeria Corcoran, em Washington.


Mas se a nudez sempre provoca alguma polêmica é certo que a nudez feminina sempre foi mais bem aceita (ou causou menos estranhamento) do que a nudez masculina. Embora as coisas tenham mudado bastante nos últimos tempos, a nudez do homem ainda é um tabu, como vimos recentemente com a realização em Viena, no Museu Leopold, da exposição "Homens Nus – de 1800 até os dias de hoje", em cartaz até 28 de janeiro de 2013.


Com a proposta de refletir sobre a presença do corpo masculino na arte dos últimos 200 anos, mas esticando o olhar também para a antiguidade clássica, a exposição causou muita polêmica muito antes de ser aberta ao público. O cartaz de divulgação trazia uma foto dos franceses Pierre & Gilles com nú frontal de 3 jogadores de futebol. A obra mostra 3 homens de etnias diferentes, usando apenas meias e chuteiras, nas cores azul, branco e vermelho. O cartaz, espalhado por toda a cidade, provocou reações violentas por parte da "liberal" e "culta" sociedade vienense e logo ganhou uma faixa laranja, cobrindo a genitália dos rapazes.


Curiosamente, a maior parte das manifestações de repúdio ao cartaz, vieram de mulheres que se sentiram ofendidas pela exposição do pênis no material de divulgação da exposição. Mais curioso ainda é que recentemente o Museu de História da Arte da mesma Viena, usou a figura nua de uma mulher egípcia no pôster de uma grande exposição e nada aconteceu, ninguém ficou chocado.
Segundo Eva Kernbauer, especialista em História da Arte da Universidade de Artes Aplicadas de Viena, embora o nu masculino seja um tema bastante comum através dos séculos, a nudez feminina sempre foi usada para expressar beleza e erotismo, já o nu masculino era associado à força e ao heroísmo.
A nudez feminina sempre representou algo frágil, vulnerável. Já a nudez masculina com a exposição dos órgãos sexuais, reflete o modelo clássico de agressão e força.


Seja como for, o olhar da mulher sobre a nudez masculina nunca foi tão erotizado quanto o do homem sobre a nudez feminina. As revistas de nu masculino sempre ficaram muito longe, em títulos e tiragem, das revistas de nu feminino. Mesmo na internet, os sites que exploram a nudez masculina são muito mais direcionados ao público gay do que ao feminino. As mulheres parecem ter muito mais prazer em se mostrar do que em ver. Isso se comprova nas páginas de bate-papo com web cam, há sempre muito mais mulheres on line para uma exibição virtual do que homens.


De qualquer maneira, o bafafá causado pelos 3 pênis no poster da exposição "Homens Nus – de 1800 até os dias de hoje" do Leopold Museum, em Viena, rendeu uma ótima publicidade e despertou a curiosidade de muita gente. A exposição está fazendo o maior sucesso. Inclusive com uma visitação muito superior a outra grande exposição em cartaz, a que comemora os 150 anos de Gustav Klimt, o pintor simbolista austriaco, um dos grandes orgulhos da nação.

0 comentários: