O Romantico Abstrato Keith Vaughan


Em 4 de novembro de 1977 o pintor britânico John Keith Vaughan ligou uma câmera para gravar pela última vez seu diário. Seus últimos momentos foram sob efeito de uma overdose de drogas. Ele suicidou-se 2 anos após receber a notícia de que tinha câncer.


A doença foi apenas a gota d’água no universo melancólico do artista. Ele passou grande parte de seus 65 anos vivendo um profundo conflito por sua homossexualidade.


Nas telas abstratas de Keith Vaughan, o dilema sobre sua sexualidade aparece de forma bastante explícita. Apesar de ter pintado belas paisagens, é na grande série de nus masculinos que toda sua dramaticidade vem à tona. Os tons escuros, os órgãos sexuais muitas vezes encobertos por um quase borrão de tinta, revelam o desejo e a culpa em cenas às vezes biográficas, às vezes fantasiosas.


Keith Vaughan trabalhou em uma agência de publicidade antes da Segunda Guerra Mundial. Em 1941 foi convocado pelo exército para o corpo de não-combatentes e nesse período começou a desenvolver-se na pintura de forma autodidata.



Após a guerra, aproximou-se de pintores do movimento Neo-Romântico mas logo enveredou pelo abstracionismo e pelo estudo das figuras masculinas.


Keith Vaughan foi também professor de arte na Escola de Artes de Camberwell, na Escola Central de Artes e mais na Slade School.


















0 comentários: