A Arte Homoerótica de Albron


Thomas Mann em seu ensaio "Über die Ehe" ("Do Casamento") de 1925, afirma que o homorotismo é estético, enquanto a heterossexualidade é prosaica.
Na História da Arte o homoerotismo sempre esteve presente em todos os campos, principalmente nas artes visuais. Os mais antigos registros estão na arte da Grécia Antiga mas pode ser observada também nas obras de Michelangelo e Leonardo da Vinci, no período renascentista, seguindo por todos os demais períodos até os dias atuais.


Um dos ícones da arte homoerótica contemporânea, Tom of Finland (1920-1991). deixou um legado imenso e de grande importância na construção da homocultura de nossos dias.
O universo fetichista de Tom of Finland, repleto de uniformes e músculos exagerados, influenciou a estética masculina do final do século XX e começo do século XXI, inspirando também muitos outros artistas como é o caso do francês Alexandre Bronnings, ou simplesmente Albron, que constrói a partir de suas fantasias, personagens musculosos, peludos e cheios de humor.



O ilustrador Albron começou a fazer arte homoerótica em 2002. Seu primeiro blog, em 2008, trouxe uma visibilidade sem fronteiras e seus desenhos começaram a ser comercializados para apreciadores do mundo inteiro.
Em 2010, ele começou a experimentar softwares 3D como Zbrush e Blender, que lhe permitiram criar seus próprios homens objetos de desejo. 



Agora Albron busca financiamento nas redes sociais para realizar ser projeto maior, o lançamento de seus personagens em bonecos. Quem quiser colaborar pode procurar por Albron no Patreon.





.

2 comentários: